Devo tornar o diagnóstico algo “restrito” aos mais próximos?

Não é raro ter que conviver com o sentimento de “pena” por parte de algumas pessoas. Isso pode fazer com que nos sintamos mais introvertidos e desconfortáveis no convívio social (passear no shopping, participar de festas, etc.).

Diversos pacientes pensam em tornar a doença conhecida apenas por pessoas muito próximas, como familiares e amigos mais íntimos, que serão mais atenciosos e entenderão melhor a situação.

Contudo, esconder a doença é algo difícil e, talvez, o melhor a se fazer seja mostrar para os outros a fase pela qual você está passando, e sua força nessa caminhada,


Mas como falar sobre o assunto sem despertar “piedade”?

O primeiro passo é encarar e aceitar o diagnóstico. Quando você acredita estar sem saída, se torna muito mais fácil absorver o julgamento e os preconceitos de outras pessoas e, consequentemente, as influências negativas que eles exercem em seu estado emocional.


Com quem falar primeiro?

Uma coisa muito importante é selecionar para quem contar primeiro. Se você já é casado ou está em um relacionamento sério, seu parceiro é quem mais vai sofrer os impactos da notícia. Esta é a primeira pessoa para quem você deve contar.

Caso contrário, fale com seus pais, eles te conhecem e, certamente, buscarão o melhor para você. Caso não seja possível, procure um amigo ou alguma pessoa de confiança. Escolha alguém que possa te ajudar no processo, que não tenha “pena” de você e que, em alguns momentos, sirva até como seu “porta-voz”.

Procure levar essa pessoa às consultas para se inteirar sobre seu tipo de câncer, tratamentos possíveis, efeitos colaterais e esclarecer dúvidas. Fale abertamente sobre qualquer dificuldade que tenha no dia-a-dia e peça ajuda.

E nada de ficar o tempo todo falando sobre o câncer! Deixe claro que não quer ser tratado como um “coitado”, que está disposto a lutar para se recuperar e que não quer “pena”, mas apoio.


Até que ponto tornar o câncer “restrito”? 

Você é quem decide até que ponto deve tornar o câncer “restrito”. Você saberá quando e onde contar ou não contar sobre sua situação. Com o tempo, ficará mais difícil se “esconder do mundo”, pois sintomas apresentados, como queda de cabelo, são notórios. E as pessoas – até aquelas mais “preconceituosas” com relação ao câncer – precisarão te entender e dar apoio para que você continue com o tratamento. Estabeleça limites e busque entender até que ponto você quer se abrir a outras pessoas.

 

Ao compartilhar, esclareça a familiares e amigos que você precisa de ajuda e que continua sendo a mesma pessoa que era antes do câncer, assim como continuará sendo a mesma – porém mais experiente – após vencê-lo também.

http://www.kimeo.com.br/wp-content/uploads/2017/03/devo-tornar-o-diagn%C3%B3stico-algo-restrito-aos-mais-pr%C3%B3ximos.jpg

Saiba mais

Uma pessoa querida está com câncer, mas moro longe dela. O q... p {padding-bottom: 2%;} Um amigo ou parente foi diagnosticado, mas a distância te impede de estar sempre com ele. Nem sempre pode ser possível acompanhá-lo no hospital, consulta...
Ajudando alguém que acabou de ser diagnosticado p {padding-bottom: 2%;} Uma pessoa querida, que você ama, descobriu que está com câncer. E agora? Saiba que você faz parte do tratamento e tem um papel muito importante de ap...
Fui diagnosticado: devo contar para minha família e amigos? p {padding-bottom: 2%;} De vez em quando você vai acabar se deparando com o sentimento de "pena" por algumas pessoas. Isso pode te fazer pensar em tornar o câncer algo "restrito...
Como lidar com mudanças de comportamento de pessoas queridas... p {padding-bottom: 2%;} Ser diagnosticado é sempre um impacto, não apenas para você, como também para sua família e amigos. Independente do estágio da doença, o medo “toma ...

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *